14/10/2010

O LEGADO TOCANTE DE CHERNOBYL NA FOTOGRAFIA DE PAUL FUSCO


Preste atenção nas pessoas em volta e veja como elas são diferentes. Você certamente encontrará brancos e negros, altos e baixos, gordos e magros, deístas e ateístas, partidárias da esquerda e simpatizantes da direita... todo tipo de gente!
Nós somos diferentes. Possuímos corpos, gostos, aptidões... tesões diferentes. Que graça teria o mundo (e a vida) se fôssemos iguais?
O fato é que precisamos aprender a conviver com a diferença e aceitar o outro por aquilo que ele é. Não importa quem seja! Não interessa se o cara é um canhoto, ou cigano, ou judeu, gay, portador de deficiência, calvo, idoso... E, mais do que isso, precisamos ter consciência de que existem mundos e pessoas absolutamente diferentes de tudo e todos que já vimos.
A ideia surgiu enquanto eu vasculhava o site do fotógrafo norte-americano Paul Fusco. Minha primeira reação ao ver a galeria Chernobyl Legacy foi de surpresa, seguida de compaixão... Não há como não se emocionar com o drama e a dor das pessoas retratadas por Fusco. É realmente diferente de tudo (ou quase tudo) que já vimos. Fusco nos leva a refletir sobre os perigos da modernidade, sobre a perda, a rejeição, a diferença...
Infelizmente, o site sumiu do ar. Mas você pode conferir o trabalho de Fusco nesse  link.

Nenhum comentário:

Postar um comentário