24/08/2011

OS HIPERREALISTAS E IMPRESSIONANTES DESENHOS DE PAUL CADDEN


É provável que, em algum momento da sua vida, você tenha posado para um artista de rua. Sejam caricaturistas ou retratistas, os trabalhos desses artistas são formidáveis. Eu ainda mantenho guardada uma caricatura minha feita há uns 10 anos atrás. Achei-a engraçadíssima e não hesitaria em colocá-la no meu perfil "orkutiano".
Embora admirados pelo público (diga-se, "pedestres"), esses artistas são desprezados pela crítica. E não é sem motivos: eles fazem sempre a mesma coisa, são todos iguais, não são artistas de vanguarda... Sua arte é meramente "uma arte comum".
Mas há quem consiga arrancar suspiros dos críticos! Um deles é o retratista e ilustrador Paul Cadden. Sua arte é extremamente realista. Parece fotografia. Cadden não deixa escapar nenhum detalhe. Note as rugas e as expressões faciais das pessoas, e o pano de fundo de algumas ilustrações. Outro detalhe interessante é que ele só retrata pessoas comuns, gente do povo.
Quer conhecer a arte realista de Paul Cadden? Clique aqui.


17/08/2011

AS CRIATIVAS E SURREAIS ILUSTRAÇÕES DE TANG YAU HOONG


Bem que tentei, mas não consegui visitar a exposição do ilustrador M. C. Escher em São Paulo. Foi impossível, principalmente por conta da fila (ela dobrava o quarteirão). Sempre admirei o trabalho de Escher e, por isso, lamento que não tenha conseguido apreciar a exposição.
M.C. Escher formou uma legião de seguidores. Um deles é, sem dúvida, Tang Yau Hoong. A influência do ilustrador holandês na obra de Hoong é flagrante. Provas não faltam. Observe, por exemplo, o desenho das mãos que apagam uma à outra - isso é puro Escher.
Mas Hoong tem seus méritos. Primeiro: ele é um ótimo ilustrador. Segundo: ele consegue ser original, apesar de se apegar a Escher. Terceiro: ele sabe surpreender. Quatro: ele tem um portfólio digno de nota. Quinto: ele é um artista eclético. Sexto: seu portfólio virtual é, além de tudo, bonito (gostei da "ilustra" acima).
Para conhecer o trabalho de Tang Yau Hoong, entre aqui.

10/08/2011

A IRRESISTÍVEL ARTE URBANA DE SHAKA


Eu tinha um conhecido que odiava arte. Para ele, ir em exposições era perda de tempo. O cara não entendia como alguém podia sair de casa "para ver quadro". Eu devia chamá-lo de ignorante. Ignorante! Motivos para tanto não faltam. Não existe apenas uma forma de arte. Não há somente um movimento artístico. Arte pode ser educativa. Arte pode ser divertida. Pode ser intrigante. Ou irresistível.
E o mínimo que eu posso dizer dos quadros e murais do francês Shaka é que são irresistíveis. O sujeito pode até não gostar de arte como meu conhecido, mas certamente concordará comigo. Shaka possui um talento fora do comum. Suas pinturas proporcionam uma sensação de profundidade e movimento excepcionais - sem contar que são riquíssimas em detatlhes. Alguns parecem imagens em 3D (outras, realmente são em 3D).
Se você gosta de grafitte e está sempre de olho nas tendências da arte urbana, certamente vai gostar do trabalho de Shaka.
Sem exagero, de 1 a 10, eu dou nota 11.
Para conhecer arte urbana de Shaka, entre aqui.

04/08/2011

OS INTERESSANTES MURAIS DE MONA CARON


Eu estou impressionado com o mercado asiático de arte. Japoneses, coreanos e chineses, entre outros, estão investindo pesado em arte. A produção artística Made in Asia ainda vai surpreender (e muito!) o Ocidente.
Hoje eu queria fazer alguns comentários sobre arte de rua e, dessa forma, arranjar um gancho para falar dos murais de Mona Caron. O único problema é que Mona é muito mais do que uma artista de rua. Além de murais, ela produz ilustrações, quadros e pôsteres. Em suma, seu trabalho não se restringe ao mural.
Os pôsteres (bem ao estilo Mucha) chamam muito a atenção. Idem as ilustrações. Os murais provam que Mona não é nenhum prodígio da arte, mas mostram que é uma grande artista, com uma excelente noção de espaço, cor e luz. É ver para crer.
Para conhecer os murais de Mona Caron, entre aqui